Pesquisas

Movimento social rural e trabalhadores assalariados temporários da agricultura

Palavra Chave

Trabalhadores Rurais – Movimento Sindical Rural – Movimentos Sociais – Conflitos Sociais – Reforma Agrária – Município de Ribeirão Preto

Instituições Financiadoras

Fundação Ford (Convênio 830-0221)

Período de Vigência

03/1983-04/1985

Resumo

A pesquisa tem como objetivos: 1) o estudo das principais reivindicações e formas de organização dos trabalhadores assalariados temporários da região canavieira de Ribeirão Preto (SP) e sua articulação/desarticulação com o projeto e a prática do Movimento Sindical Rural; 2) o conhecimento mais aprofundado da forma específica através da qual esses trabalhadores percebem a sua própria condição de classe, de cidadãos e de vida, mediante a análise dos dados privilegiados pela metodologia de pesquisa utilizada: discursos de trabalhadores, expressos em entrevistas individuais não-diretivas e em debates de grupo realizados como parte do processo de investigação-intervenção em curso; 3) elaboração de material audiovisual para trabalho de base, a ser utilizado no decorrer da pesquisa e oferecido, posteriormente, ao Movimento Sindical Rural e outras instituições interessadas.

Relatórios de pesquisa: 

ANDRADE, Regis de C. (presid.). Projeto Cidadania e Participação Social (2ª fase). São Paulo: Cedec, jan. 1984 (Relatório de atividades de março a dez. 1983)

ANDRADE, Regis de C. (presid.). Projeto Cidadania e Participação Social. São Paulo: Cedec, jan. 1985 (Relatório de atividades de jan. a dez. 1984) (D)

CEDEC. Movimento social rural e trabalhadores assalariados temporários da agricultura. São Paulo, s/d, 46p. e Anexos (Relatório de atividades) (D)

Trabalhos Produzidos

D’INCAO, Maria Conceição. “O bóia-fria e o movimento sindical rural”. In: D’Incao, Maria Conceição. Qual é a questão do bóia-fria? . São Paulo: Brasiliense, 1984, pp. 49-65; também publicado em: Martins, Ângela Maria; Souza, Aparecida Néri de e Gusman, Lenice (orgs.). Ciências Sociais, Coletânea de Textos. São Paulo: Secretaria de Estado da Educação (SE)/Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas (CENP), 1986, pp. 50-58 (D)

D’INCAO, Maria Conceição. Qual é a questão do bóia-fria? . São Paulo: Brasiliense, 1984 (Coleção “Qual É?”)

D’INCAO, Maria Conceição. “Bóias-frias, desafio para o sindicato rural”. Lua Nova, São Paulo: Cedec, vol. 1, n° 4, jan./mar. 1985, pp. 73-78 (ISSN 0102-6445) (D)

D’INCAO, Maria Conceição. “Reforma agrária só na marra?”. Lua Nova, São Paulo: Cedec, vol. 2, n° 4, jan./mar. 1986, pp. 81-85 (ISSN 0102-6445) (D)

D’INCAO, Maria Conceição; GERVAISEAU, Marie-Bénigne; FERREIRA DE CHONCHOL, Marie-Edy; CABANES, Robert (trads.) “Le travailleur boia-fria: histoire d´une errance, conditions de travail et mobilisations récentes dans l´Etat de Sao Paulo (Brésil)”. Cahiers des Sciences Humaines, Institut de Recherche por le Développement (IRD), vol. 23, n° 2, 1987, pp. 287-299

FISCHER, André Luiz; FLEURY, Maria Tereza Leme; FISCHER, Rosa Maria. “O processo e a organização do trabalho na agroindústria canavieira”. Revista de Administração, São Paulo: USP, vol. 19, 1984, pp. 17-22 (ISSN 0080-2107); publicado como “O trabalho na agroindústria canavieira: um processo em mudança”. In: FLEURY, Maria Tereza Leme e FISCHER, Rosa Maria (coords.). Processo e relações do trabalho no Brasil. São Paulo: Atlas, 1985 (2ª ed.: 1987), pp. 67-80 (ISBN 85-224-0255-8) (D) Versão em PDF

FISCHER, Rosa Maria; FISCHER, André Luiz; FLEURY, Maria Tereza Leme. “Política de recursos humanos e participação do trabalhador na agroindústria”. Revista de Administração, São Paulo: USP, vol. 19, 1984, pp. 70-72 (ISSN 0080-2107)

FLEURY, Maria Tereza Leme; FISCHER, Rosa Maria. “Gestão e participação na organização do trabalho rural”.Revista de Administração de Empresas, Rio de Janeiro: FGV-RJ, vol. 24, n° 4, 1984, pp. 19-22 (D)

@ 2017 Cedec - Centro de Estudos de Cultura Contemporânea. Todos os direitos reservados